O que é Urologia?

Urologia é uma especialidade cirúrgica da medicina que trata do trato urinário de homens e de mulheres e do sistema reprodutor das pessoas do sexo masculino. Os médicos que possuem especialização nesta área são os urologistas, sendo treinados para diagnosticar, tratar e acompanhar pacientes com distúrbios urológicos.
Os órgãos estudados pelos urologistas incluem os rins, ureteres, bexiga urinária, uretra e os órgãos do sistema reprodutor masculino (testículos, epidídimos, ducto deferente, vesículas seminais, próstata e pênis). As adrenais acabaram entrando na especialidade devido ao aspecto cirúrgico das doenças tumorais das supra-renais. Quando tem indicação cirúrgica de tumor de supra-renal o endocrinologista encaminha para o urologista.


O que é?


A Balanopostite são termos utilizados para situações inflamatórias da glande (popularmente conhecida como “cabeça do pênis”), do prepúcio (pele que recobre a glande) ou de ambas, respectivamente.
Tanto em adultos quanto em crianças a balanopostite pode ser originada de higiene inadequada, dermatite irritante de contato, trauma local, infecção bacteriana ou fúngica (cândida albicans). A falta de hábitos regulares de higiene do pênis pode levar ao acúmulo de uma substância esbranquiçada, o esmegma (associação de células mortas descamadas e óleos corporais), que em ambiente propício pode levar à multiplicação de micro-organismos causando inflamação/infecção.

O que é?


Bexiga Hiperativa (BH) é o termo que o urologista usa para se referir à necessidade urgente de urinar. Essa urgência é de difícil controle e pode estar associada à incontinência urinária (perda involuntária de urina).
Quem sofre de BH costuma acordar à noite para urinar (e o sono é prejudicado). Além disso, é comum necessitar ir ao banheiro para urinar mais de 7 vezes em 24 horas.

Tratamento


Apesar de a BH ser uma condição que causa grande prejuízo à qualidade de vida, os sintomas não costumam representar riscos ao paciente. O tratamento costuma ser muito efetivo e inclui restrição da ingestão de líquidos no final da tarde (para evitar micções noturnas), exercícios para fortalecer o assoalho pélvico e uso de medicamentos.
Infelizmente, algumas pessoas não procuram assistência médica precoce porque acreditam que os sintomas urinários fazem parte do processo normal de envelhecimento. Contudo, a incontinência urinária NÃO é normal. Aliás, a BH pode acometer homens e mulheres, crianças, adultos e idosos.
O médico urologista é o especialista recomendado para avaliar e tratar os sintomas de BH. Quanto antes você buscar ajuda, maiores são as chances de conseguir um tratamento efetivo.

O que é?


Os cálculos renais são massas sólidas formadas por minerais e sais ácidos que se aglutinam na concentração da urina. A passagem pelo trato urinário pode ser dolorosa, mas eles geralmente não causam danos permanentes.
O sintoma mais comum é uma dor intensa, normalmente no lado do abdômen, frequentemente associada a náuseas.
O tratamento inclui analgésicos e ingestão de muita água para ajudar a expelir a pedra. Procedimentos médicos podem ser necessários para remover ou quebrar as pedras maiores.

Tratamento


O tratamento é feito por meio do uso de fluidos e medicamentos para retenção urinária.
O tratamento inclui analgésicos e ingestão de muita água para ajudar a expelir a pedra.
Procedimentos médicos podem ser necessários para remover ou quebrar as pedras maiores.

O que é?


A litíase urinária é uma doença frequente, ocorrendo entre 120 a 140 casos para cada grupo de 100 mil pessoas por ano. Atinge mais frequentemente adultos na faixa dos 30 aos 40 anos. Os cálculos ureterais constituem parte importante dos casos de litíase urinária por serem responsáveis, na maioria das vezes, pela cólica ureteral. Este tipo de cólica provoca dor lombar de início abrupto, com irradiação para a região genital, de forte intensidade e acompanhada de náuseas, vômitos e sudorese.
Cerca de 70% dos cálculos ureterais menores de 5 milímetros são eliminados espontaneamente, porém esta eliminação pode ser muito dolorosa causando intenso sofrimento ao paciente.

Tratamento


O tratamento dos cálculos ureterais vai desde a observação até a sua remoção utilizando ureteroscópios. A observação é indicada para pacientes pouco sintomáticos e com cálculos com diâmetro inferior a 7 milímetros. O uso de medicações que auxiliam na eliminação dos mesmos tais como bloqueadores alfa-adrenérgicos e de canais de cálcio são recomendados, pois aumentam a taxa de eliminação dos cálculos e reduzem o número e a intensidade das cólicas. Em nosso meio a droga mais usada é a tamsulozina, que apresenta poucos efeitos adversos.

O que é?


Esse tipo de câncer geralmente afeta os idosos. Costuma ser diagnosticado precocemente, quando ainda é tratável. Como a reincidência é provável, os exames de acompanhamento normalmente são recomendados.
O sintoma mais comum é o sangue na urina.
Os tratamentos incluem cirurgia, terapia biológica e quimioterapia.

Tratamento


O tratamento depende do estágio da doença
Os tratamentos incluem cirurgia, terapia biológica e quimioterapia.

O que é?


A próstata masculina produz um fluido seminal que nutre e transporta o esperma. Os sintomas incluem dificuldade em urinar, mas, às vezes, não há sintomas.
Alguns tipos de câncer de próstata crescem lentamente. Em alguns casos, é recomendado monitoramento. Outros tipos são agressivos e necessitam de radioterapia, cirurgia, terapia hormonal, quimioterapia ou outros tratamentos.

Tratamento


O tratamento depende do estágio da doença
Alguns tipos de câncer de próstata crescem lentamente. Em alguns casos, é recomendado monitoramento. Outros tipos são agressivos e necessitam de radioterapia, cirurgia, terapia hormonal, quimioterapia ou outros tratamentos.

O que é?


O câncer de rim representa cerca de 2 a 3% dos cânceres em adultos, afetando cerca de 50% mais homens do que mulheres. Cerca de 73.820 pessoas desenvolvem câncer renal a cada ano e cerca de 14.770 morrem em decorrência dele (estimativas de 2019). Os fumantes têm cerca do dobro de probabilidades de desenvolver câncer de rim em comparação aos não fumantes. Outros fatores de risco incluem exposição a substâncias químicas tóxicas (por exemplo, amianto, cádmio, curtimento de couro e produtos derivados de petróleo) e obesidade. As pessoas que fazem diálise e desenvolvem doença renal cística e aquelas com certos distúrbios hereditários também têm maior risco de câncer de rim. As pessoas afetadas pertencem geralmente à faixa etária dos 50 aos 70 anos.
A maior parte dos tumores sólidos do rim é cancerosa, mas geralmente os que contêm líquido (cistos) não o são. Quase todos os cânceres de rim são carcinomas de células renais. Outro tipo de câncer de rim, tumor de Wilms, ocorre mais frequentemente em crianças.

Tratamento


Quando o câncer não tiver se propagado além do rim, a extração cirúrgica do rim afetado proporciona uma chance razoável de cura. O médico pode remover apenas o tumor e uma margem do tecido normal circundante, preservando assim uma parte do rim. Embora alguns meios não cirúrgicos de destruir as células cancerosas estejam sendo estudados, a cirurgia é normalmente preferida.
Se o câncer tiver se espalhado para as adjacências como a veia renal ou mesmo a veia grande que transporta o sangue para o coração (veia cava), mas não tiver metástases em linfonodos ou locais distantes, a cirurgia pode ainda propiciar uma chance de cura. No entanto, o câncer de rim tende a se propagar rapidamente, especialmente para os pulmões, algumas vezes antes do surgimento de sintomas. Como o câncer de rim com metástases à distância pode escapar um diagnóstico precoce, a metástase, algumas vezes, se torna aparente somente após os médicos terem removido cirurgicamente todo o câncer de rim que pôde ser encontrado.

O que é

Divertículos uretrais são dilatações anormais da uretra. Podem ocorrer em homens ou mulheres e ser congênitos ou adquiridos após o nascimento.

Sintomas

Geralmente, a paciente apresenta-se com um desconforto ou massa palpável na vagina. Frequentemente refere gotejamento de urina após terminar a micção e episódios de infecção urinária.
Dor nas relações sexuais e incontinência urinária podem estar presentes. Pacientes com incontinência urinária precisam ser identificadas, pois podem ser submetidas à correção simultânea dos dois problemas.

Tratamento

Os divertículos uretrais geralmente representam um grande problema para as pacientes que se apresentam para avaliação urológica e por isso precisam ser tratados. Naquelas em que a sintomatologia é leve, sem causar infecções urinárias, desconforto ou limitações das atividades sociais e da vida sexual, o tratamento pode não ser necessário.
Quando indicado, o tratamento dos divertículos uretrais requer correção cirúrgica.
Esta geralmente é feita através de uma cirurgia por via vaginal.

O que é?


A bexiga baixa ocorre quando os músculos e ligamentos do pavimento pélvico não conseguem segurar a bexiga exatamente em seu lugar, e por isso ela 'escorrega' da sua posição normal, podendo ser tocada facilmente através da vagina.
Essa situação pode ser chamada de cistocele, prolapso da bexiga, bexiga baixa ou bexiga caída, sendo mais frequente nas mulheres com mais de 40 anos de idade, que já tenham engravidado. A mulher pode apresentar somente a bexiga caída, mas também pode acontecer a queda do útero, da uretra e do reto ao mesmo tempo.

Tratamento


O tratamento para bexiga baixa pode ser feito com mudanças no estilo de vida, com perda de peso, deixar de fumar, combater a prisão de ventre, além da fisioterapia, exercícios pélvicos, indicados pelo fisioterapeuta, ou através de cirurgia, nos casos mais graves, quando a bexiga chega até a entrada da vagina ou passa pela vagina.

O que é?


Divertículos uretrais são dilatações anormais da uretra. Podem ocorrer em homens ou mulheres e ser congênitos ou adquiridos após o nascimento.
Os divertículos uretrais podem resultar de traumatismo uretral, uso prolongado de sonda uretral, cirurgias sobre a uretra ou através dela, infecções uretrais ou perto da uretra e outras causas menos frequentes.

Tratamento


Os divertículos uretrais geralmente representam um grande problema para as pacientes que se apresentam para avaliação urológica e por isso precisam ser tratados. Naquelas em que a sintomatologia é leve, sem causar infecções urinárias, desconforto ou limitações das atividades sociais e da vida sexual, o tratamento pode não ser necessário.
Quando indicado, o tratamento dos divertículos uretrais requer correção cirúrgica. Esta geralmente é feita através de uma cirurgia por via vaginal. Se você quiser saber mais sobre divertículos uretrais pergunte ao seu urologista.​

O que é?


A dor nos testículos é um sintoma que pode afetar homens de todas as idades e que pode ser classificada como aguda ou crônica. A dor aguda é aquela que surge rapidamente e que dura poucas horas ou dias, sendo geralmente provocada por uma pancada nos testículos.
Já a dor crônica vai surgindo lentamente e mantém-se por várias semanas ou meses, podendo ser sinal de problemas mais sérios como hérnia inguinal, varicocele ou processos inflamatórios crônicos, por exemplo.

O que é?


A estenose uretral consiste num estreitamento de uma parte da uretra, que pode provocar a redução ou até a interrupção total do fluxo urinário. Qualquer área da uretra pode ser afetada. O estreitamento pode variar em alguns milímetros ou abrangê-la em toda a sua extensão. Os exames mais utilizados para detectar a estenose uretral são estes: urofluxometria (avalia a força do jato urinário, que é afetado pela estenose); uretrocistografia (verifica o local e a extensão do estreitamento); cistoscopia (examina o local da estenose por meio de um endoscópio especial).

Tratamento


Cirurgia: Há vários tipos de técnicas diferentes. Nas estenoses mais curtas, o trecho de uretra estenosado pode ser eliminado, e os cotos uretrais acabam sendo unidos novamente com pontos de sutura. Se a estenose for longa, é possível o reparo com uso de retalhos e enxertos.

O que é?


A fístula vesicovaginal é uma comunicação anormal entre a bexiga e a vagina levando a uma perda contínua de urina através do canal vaginal. Considerada como uma condição sem esperança nos primórdios da humanidade, somente em 1675, na Suíça, que Johann Fatio realizou o primeiro reparo bem sucedido de uma fístula vesicovaginal. Representa sem dúvida uma das condições de maior impacto na qualidade de vida da mulher, levando a grande insatisfação, limitação e revolta do ponto de vida socioemocional.

Tratamento


A reparação das fístulas vesicovaginais é quase sempre cirúrgica, uma vez que a abordagem conservadora falha na maioria dos casos. Porém, nas fístulas pequenas, não infectadas, bem vascularizadas e não irradiadas pode-se tentar a utilização prolongada de sonda de demora, associado ou não à fulguração do trajeto fistuloso com laser ou eletrocautério. O uso de estrogenioterapia também é útil para melhorar o trofismo vaginal.

O que é?


A hiperplasia prostática benigna é um aumento não canceroso (benigno) da glândula da próstata, que pode dificultar a micção.
A hiperplasia prostática benigna (HPB) torna-se muito mais frequente à medida que os homens envelhecem, especialmente depois dos 50 anos de idade. A causa exata não é conhecida, mas provavelmente envolve alterações causadas por hormônios, incluindo a testosterona e, especialmente, di-hidrotestosterona (um hormônio relacionado à testosterona).
Conforme a próstata aumenta, ela gradativamente comprime a uretra e bloqueia o fluxo de urina (obstrução urinária). Quando homens com HPB urinam, é possível que a bexiga não esvazie completamente. Consequentemente, a urina fica estagnada na bexiga, fazendo com que os homens fiquem suscetíveis a desenvolver infecções do trato urinário (ITUs) e cálculos na bexiga. A obstrução prolongada pode enfraquecer a bexiga e acabar causando danos aos rins.

Tratamento


O tratamento não é necessário, a menos que a HPB cause complicações ou sintomas especialmente incômodos (como ITUs, insuficiência renal, sangue na urina, cálculos ou retenção urinária). Os medicamentos que podem piorar os sintomas, como opioides com efeitos anticolinérgicos (por exemplo, muitos anti-histamínicos e alguns antidepressivos), além de medicamentos denominados simpatomiméticos (incluindo alguns medicamentos para o resfriado comum) devem ser suspensos, quando possível.

O que é?


O papilomavírus humano (HPV) é a infecção sexualmente transmissível (DST) mais comum.
Muitas pessoas com HPV não desenvolvem nenhum sintoma, mas ainda podem infectar outros indivíduos pelo contato sexual.
Os sintomas podem incluir verrugas nos órgãos genitais ou na pele circundante.

Tratamento


Não há cura para o vírus, e as verrugas podem desaparecer por conta própria. O tratamento visa eliminar as verrugas. Uma vacina que previne os variados tipos de HPV com maior probabilidade de causar verrugas genitais e câncer cervical é recomendada para meninos e meninas.

O que é?


A incontinência urinária é a perda súbita de urina de forma involuntária pela uretra. A condição acontece também quando há pequenos escapes diários, não apenas perda grande e incontrolável de urina.

Tratamento


A escolha do tratamento para incontinência urinária ocorre após o diagnóstico e identificação da causa e do tipo de perda urinária. Ela muda de acordo com o quadro clínico de cada paciente.
É possível que uma mesma pessoa faça uma combinação de vários procedimentos para tratar essa condição.

O que é?


As infecções do trato urinário são mais comuns em mulheres. Geralmente, ocorrem na bexiga ou na uretra, mas as infecções mais graves envolvem o rim.
A infecção na bexiga pode causar dor pélvica, aumento da vontade de urinar, dor ao urinar e sangramento na urina. A infecção nos rins pode causar dor nas costas, náuseas, vômitos e febre.

Tratamento


O tratamento comum é feito com antibióticos.

O que é?


A orquite, também conhecida por orqueíte, é uma inflamação nos testículos que pode ser causada por traumatismo local, torção do testículo ou infecção, sendo mais frequentemente relacionada ao vírus da caxumba. A orquite pode acometer apenas um ou os dois testículos, podendo ser classificada em aguda ou crônica de acordo com a progressão dos sintomas.

Tratamento


O tratamento para orquite inclui repouso e o uso de medicamentos anti-inflamatórios. O médico urologista poderá indicar ainda a aplicação de compressas geladas na região para diminuir a dor e o inchaço que pode demorar até 30 dias para ser solucionado. No caso de infecção por bacterianas, o médico pode recomendar o uso de antibióticos.

O que é?


A inflamação da próstata, conhecida como prostatite, normalmente causa sintomas como dor ao urinar, febre, dor perineal e sensação de não conseguir fazer o esvaziamento da bexiga. No entanto, também é comum sentir dor nos testículo, que piora ao palpar a região.

Tratamento


uma boa forma de aliviar a dor é fazer banhos de assento com água morna durante 15 minutos e praticar exercícios de kegel, no entanto, quase sempre também é necessário tomar antibióticos receitados pelo urologista, como ciprofloxacino ou levofloxacina.

O que é?


A torção do testículo normalmente é uma situação de emergência que é mais comum antes dos 25 anos e que provoca uma dor muito intensa, no entanto, existem casos em que essa torção não acontece completamente e, por isso, o homem pode apresenta apenas um desconforto constante ou uma dor intensa que vai e vem conforme os movimentos.

Tratamento


Em caso de suspeita de torção do testículo é importante ir rapidamente ao pronto-socorro para confirmar o diagnóstico e fazer a cirurgia para recolocar o testículo no local correto, evitando complicações como infertilidade.